Tako

Espetáculo pernambucano faz temporada na República Dominicana

'Las Mariposas', do grupo Nexto, retrata histórias de pernambucanas vítimas de violência doméstica. As sessões no país caribenho ocorrem deste sábado (24) até 29 de novembro

Por Hélio Carlos em 23/11/2018 às 14:32:11

"Las Mariposas" Foto: Pri Câmara/Divulgação

O espetáculo pernambucano "Las Mariposas", do Núcleo de Experimentações em Teatro do Oprimido (Nexto), será encenado na República Dominicana. A peça, que aborda o drama de mulheres vítimas de violência doméstica em Pernambuco, faz sua estreia no país caribenho no sábado (24), véspera do Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher. As apresentações ocorrem até 29 de novembro, em cinco cidades. 

Para os atores e idealizadores da montagem, Andréa Veruska e Wagner Montenegro, a turnê internacional tem um valor especial. Afinal, o nome do espetáculo é uma homenagem às irmãs dominicanas Patria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, conhecidas como Las Mariposas, ícones feministas da América Latina. As três foram assassinadas por conta de seu ativismo político, em 25 de novembro 1960, a mando do ditador Rafael Leónidas Trujillo. A data foi transformada, mais tarde, no Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher.

"Elas são uma inspiração por terem iniciado um movimento de liberdade e igualdade de direitos. Quando estávamos criando a peça, entramos em contato com a história delas e decidimos utilizar como referência", conta Wagner Montenegro. Durante a estadia na República Dominicana, a dupla de artistas brasileiros se apresentará em lugares por onde as irmãs Mirabal passaram, situados na província que hoje leva o nome delas, como a casa onde moraram. A viagem é financiada pelo Funcultura

Para vencer os entraves de encenar o espetáculo em um país que fala outra língua, os pernambucanos adotaram algumas estratégias. "Vamos falar em espanhol em alguns momentos, em outros teremos legendas e nas demais cenas excluímos totalmente o texto. Isso nos deu a chance de reinventar esse trabalho, pensando mais na força da imagem", comenta o ator. A encenação tem dramaturgia coletiva e direção assinada pela bailarina e coreógrafa Maria Agrelli. 

Fundado em 2012, o Nexto segue a linha de trabalho do Teatro do Oprimido, método criado pelo carioca Augusto Boal e que traz como proposta transformar a realidade através das artes cênicas. Com o objetivo de promover o diálogo sobre questões de gênero, "Las Mariposas" já foi encenado em 14 comunidades do Recife desde 2015. 

O texto foi criado com base em relatos de pernambucanas que, ao longo de suas vidas, sofreram algum tipo de violência física, sexual ou psicológica. "Falamos de uma realidade que, infelizmente, é muito presente no nosso Estado. Quando Andréa e eu fazíamos oficinas, sempre ouvíamos histórias desse tipo, que nos impactaram e despertaram o desejo de levar o tema aos palcos", diz. 

Fonte: Folha PE